colaborador,conflito,empresa,gestor de equipes,inteligência emocional,liderança,planejamento,

23 de agosto de 2018

Por que a inteligência emocional é importante na gestão de equipes


Liderar é uma arte que envolve desafios constantes. Fazer uma boa gestão de equipes não se resume à entrega de resultados coletivos, é preciso manter os colaboradores motivados. E um dos caminhos para isso é desenvolver a inteligência emocional. 

Se você deseja aprimorar a gestão de equipes, procure valorizar as relações interpessoais. Os resultados numéricos são importantes, mas eles são fruto do trabalho de pessoas plenamente satisfeitas em seu ambiente profissional – e isso tem tudo a ver com inteligência profissional. 

Mas você sabe o que é inteligência emocional? 

Esse conceito da psicologia corresponde à capacidade de olhar para si mesmo e para os outros. Pessoas inteligentes emocionalmente têm mais sensibilidade nessa observação para tomar atitudes positivas. 

A seguir, vamos explicar de que forma a inteligência emocional pode ser importante para gestores de equipes 

Identificação de emoções 

Uma das vantagens em desenvolver a inteligência emocional é tornar-se mais sensível em relação às outras pessoas. Há situações do dia a dia em que colegas de trabalho não estão muito bem, mas isso passa despercebido. 

Aqueles que têm mais inteligência emocional são capazes de observar com mais atenção e notar essas nuances comportamentais. Para um gestor de equipes, essa virtude é valiosa, pois permite um trato mais individualizado com cada colaborador. 

Propensão a elogiar as outras pessoas 

Quem olha com mais atenção para os outros tem condições de notar suas virtudes e fraquezas. Um gestor de equipes inteligente, sob o ponto de vista emocional, sabe apontar as falhas de seus subordinados para fazê-los melhorar. Mas isso não basta. 

Reconhecer os pontos fortes de um profissional faz bem para a autoestima dele, ainda mais quando o elogio parte do líder. É claro que afagos em excesso não são o melhor caminho para comandar uma equipe. Mas a inteligência emocional contribui também na busca por esse equilíbrio. 

Autocontrolar suas próprias emoções é importante

Autocontrole sobre as próprias emoções 

Equilibrar a balança entre razão e emoção é um desafio na vida pessoal e no ambiente corporativo. Na gestão de equipes, isso tem um peso ainda maior, pois uma resposta atravessada pode aborrecer um colaborador ou gerar um atrito sério com um cliente. 

Ter inteligência emocional é também demonstrar maior autocontrole para não deixar as emoções dominarem você. Valorizar decisões racionais vai lhe ajudar a contornar problemas rotineiros sem gerar maiores conflitos ou reações adversas. 

(Leia também: 5 estratégias eficazes para conquistar novos clientes) 

Humildade verdadeira 

A capacidade de reconhecer erros e trabalhar para corrigi-los é um ponto positivo para qualquer profissional. Nem todos fazem isso de forma genuína, mas as pessoas inteligentes emocionalmente refletem de forma verdadeira para evoluir. 

Na gestão de equipes, a humildade sincera gera empatia junto aos subordinados. Esse vínculo mais estreito leva os colaboradores a vestirem a camisa da empresa e atuarem coletivamente em busca de resultados cada vez melhores. 

Facilidade para se desculpar 

Há situações em que as pessoas reconhecem um erro, porém têm dificuldade em se desculpar com o outro. Isso pode acontecer no trabalho ou em uma interação pessoal. Desculpar-se não é fácil, requer uma boa dose de inteligência emocional. 

Gestores de equipes capazes de se desculpar com seus times quando erram tornam mais forte a relação com os colaboradores. Admitir uma falha não é sinal de fraqueza. Muito pelo contrário! Demonstra que aquele líder procura evoluir e não joga a sujeira para baixo do tapete. 

Capacidade de fazer pausas 

A correria e a pressão por resultados derrubam a produtividade e podem levar líderes a tomarem atitudes intempestivas. Quando isso acontece, o risco de tombos severos é maior, o que compromete a empresa. 

Gestores de equipes com inteligência emocional têm a capacidade de fazer pausas estratégicas. Naqueles momentos em que um furacão parece passar pelo escritório, é importante ter a sabedoria para respirar fundo antes de tomar uma decisão impulsiva. 

Comunicação clara é essencial

Clareza na comunicação 

Você já reparou como algumas pessoas dizem meias verdades para não gerar conflitos com outras pessoas? Talvez você tenha passado por alguma situação profissional em que se viu contra a parede e apelou para uma meia verdade. 

Em muitos casos, esse tipo de recurso é resultado da falta de inteligência emocional. Quem recorre a meias verdades não tem a segurança necessária para dizer o que precisa ser dito.  

Em uma empresa, os líderes devem ser claros com seus colaboradores, ainda que isso possa gerar ruídos em um primeiro momento.  

Compromisso com o que é acordado 

Há alguns fatores que podem desestabilizar uma equipe. Um deles é a falta de palavra do chefe em relação a promessas feitas aos colaboradores. Pode ser aquela emenda de feriado que deixa de ser viável de última hora, ou o aumento de salário adiado repetidas vezes. 

Uma boa gestão de equipes é baseada na confiança mútua entre o líder e seus funcionários. Cada pessoa vai se dedicar bravamente para entregar resultados desde que o comandante cumpra suas promessas. 

A inteligência emocional é decisiva para evitar que o gestor seja vítima de suas próprias promessas. Antes de sugerir um aumento salarial, por exemplo, verifique de forma precisa se a conta vai fechar. 

Profissional habilidosa em contar boas histórias

Habilidade de contar boas histórias 

Quem não gosta de uma boa história? Mas não basta ser aquela piada engraçada. As grandes histórias são aquelas que ficam guardadas na memória. 

A inteligência emocional é uma ferramenta que ajuda as pessoas a criarem conexões para produzir histórias marcantes. Um gestor de equipes pode contar um caso para seus colaboradores de forma despretensiosa ou utilizar a oportunidade para motivá-los. 

Ilustrar uma boa história com números e trazê-la para a realidade da empresa é uma forma de encantar o time. 

Valorização das individualidades 

Uma equipe em harmonia é aquela em que todos contribuem e percebem sua participação no resultado coletivo. A busca por esse equilíbrio passa diretamente pela atitude correta de quem está na liderança. 

É papel do gestor de equipes valorizar as individualidades de seus colaboradores para tirar o máximo de cada um deles. A inteligência emocional amplia a percepção a respeito das singularidades das pessoas.  

O líder deve conversar individualmente para expressar isso a seus colaboradores. Valorizar as pessoas de forma verdadeira é bastante positivo e, é claro, envolve a inteligência emocional. 

Melhore ainda mais sua gestão de equipes 

O que você achou desta reflexão sobre inteligência emocional? De fato, esse conceito da psicologia pode ser muito importante para quem lidera uma equipe. 

Que tal uma dica final para aprimorar ainda mais a gestão de equipes em sua empresa? Saiba como o Neotriad pode transformar sua rotina corporativa para muito melhor!




Deixe seu comentário