líder produtivo,Liderança e produtividade,

maio 24, 2016

Liderança e produtividade: como suas atitudes podem quebrar uma empresa?


A forma como você enxerga o trabalho e aborda a sua equipe influencia diretamente na produtividade da empresa e, consequentemente, em seu faturamento e desempenho no mercado. Na maioria das vezes, a baixa produtividade não está relacionada ao fato de que seus funcionários são preguiçosos ou não sabem trabalhar duro, e sim, a como você faz a gestão de equipes e se posiciona enquanto líder.

Ser um líder significa ditar o ritmo e as diretrizes para que os funcionários fiquem mais motivados a fazer o seu melhor e contribuir para o crescimento da empresa como um todo.

Se a sua empresa está passando por um momento complicado e você precisa de ajuda para que todos produzam mais – e melhor – continue lendo o nosso artigo e veja como trabalhar a liderança pode ser exatamente o que falta para o seu negócio decolar!

Neste post, você aprenderá:

O que é ser um líder?

Essa é uma pergunta que é constantemente feita para executivos das mais variadas empresas. Será que ser um líder está limitado a delegar tarefas e exigir bons resultados da sua equipe? Para ser um líder, é essencial ocupar um cargo alto e possuir anos de experiência?

Chegar a um conceito definitivo e global sobre liderança pode ser uma tarefa bastante difícil, no entanto, vamos te ajudar a entender melhor a diferença entre trabalhar essa característica para fazer uma gestão de equipes eficaz ou ser apenas um chefe.

 

4

Ser um líder não é…

Ocupar um alto cargo na empresa

Não é só porque você é o dono ou o diretor de uma empresa que, automaticamente, você se torna um líder. Provavelmente, será nessas posições que você conseguirá desenvolver essas habilidades, no entanto, engajar a equipe e conquistar respeito apenas com base no seu cargo ou no “medo” não é nada eficaz.

Consequência de um tipo de personalidade

Quando falamos sobre um bom líder, temos a tendência de imaginar grandes figuras carismáticas e já começamos a pensar que jamais seremos capazes de ser como eles por não possuirmos os mesmos traços de personalidade. A liderança não é exclusiva para pessoas extrovertidas, carismáticas e expansivas. Existem outros fatores muito mais importantes e que podem ser desenvolvidos em qualquer pessoa para que ela se torne um líder.

Sinônimo de chefiar uma equipe

Você tem 10 pessoas na sua equipe e fica sentado na sua sala vigiando o que elas fazem. Ótimo para você! No entanto, isso não faz de você um líder. Saber planejar e gerenciar projetos são excelentes características, mas fundamentais para ‘coisas’, não pessoas. As habilidades necessárias para fazer a gestão de equipes são bastante diferentes das que você adquire ao ser um excelente gerente de negócios.

 

O que faz de você um bom líder

Agora que quebramos antigos conceitos do que significa ser um líder, as coisas começaram a parecer muito mais difíceis do que você acreditava que eram, certo? Mas não se desespere!

Ser um líder tem muito mais a ver com a sua inteligência emocional e forma como você enxerga e lida com as coisas do que com atributos técnicos, de cargo ou da sua personalidade. Ou seja, uma boa gestão de equipes está muito mais relacionada ao seu nível de autoconhecimento e suas habilidades sociais – e tudo isso pode ser treinado e desenvolvido!

Quando você é um bom líder, consegue orientar as pessoas sobre que precisa ser feito, delegar tarefas e motivá-las a dar o seu melhor em qualquer situação. Um bom líder sabe como engajar a sua equipe e manter uma comunicação e ritmo de trabalho que sejam favoráveis para todos, gerando um comprometimento e produtividade muito maiores do que quando você fica apenas sentado na sua cadeira de ‘big boss’ dando ordens.

 

Como a liderança afeta a produtividade de uma empresa?

Provavelmente, nesse ponto do artigo, você já deve ter alguns palpites sobre como a liderança pode influenciar no nível de produtividade da sua empresa. Vamos abordar um pouco mais esse tema, no entanto, é preciso deixarmos bem claro o que significa ter uma equipe de alta performance.

 

Trabalhar muito versus ser produtivo

Muitas pessoas costumam confundir trabalho em excesso com produtividade. Quando você exige que a sua equipe trabalhe mais, absorva diferentes tarefas e termine as atividades rapidamente, você basicamente está tentando parecer um líder – mas da forma errada e mais ineficaz que você poderia fazer.

Em uma liderança efetiva, o seu papel é de proporcionar as ferramentas, conhecimentos e recursos necessários para que a sua equipe faça o trabalho da melhor forma. Por isso, é preciso analisar e procurar formas de cortar tarefas desnecessárias ou que estejam tirando foco daquilo que realmente importa para que seus funcionários produzam melhor e não acumulem pilhas de pendências.

 

É o líder quem dita o ritmo de trabalho

É o líder que vai ditar o ritmo e as condutas para que o trabalho seja executado. Se não há processos, indicadores de qualidades e, principalmente, ferramentas com as quais as pessoas possam contar para realizarem suas tarefas, fica praticamente impossível de cumprir com as expectativas.

As pessoas precisam entender o que precisa ser feito e qual o propósito de suas atividades para que consigam se engajar e se sentirem responsáveis pelo sucesso da empresa. É apenas com esse tipo de gestão que você consegue criar uma cultura voltada à inovação e performance. O uso diário do Neotriad 5.0 é essencial para a educação da gestão do tempo e organização.

De forma geral, as pessoas querem ser bem-sucedidas nas atividades que exercem. Quando você, enquanto líder, não provê as condições necessárias para que isso aconteça, elas se sentem insatisfeitas e começam a simplesmente executar tarefas da maneira automática e com baixo comprometimento apenas para ‘cumprir com a tabela’ e entregar o que foi pedido.

2

Atribuições do líder na gestão de equipes

Agora que já sabemos que a forma como você conduz os seus funcionários interfere diretamente na produtividade da empresa, vamos falar um pouco mais sobre qual o seu papel enquanto líder.

a) Comunicação

A comunicação é determinante para que as pessoas trabalhem em conjunto para alcançar um objetivo comum e, assim, elevem a competitividade da empresa. É preciso criar um clima em que a comunicação seja transparente e aberta e, assim como você precisa deixar bem claro o que espera de cada um, os funcionários também precisam se sentir seguros para expor suas ideias e dizer quando não se sentem à vontade com alguma coisa.

A comunicação também é muito importante para evitar a famosa ‘rádio peão’ e criar um ambiente em que as pessoas se sintam bem e reconhecidas pelo seu trabalho. Todos esses pontos contam – e muito – para não diminuir a motivação da sua equipe e construir uma empresa de alta performance.

b) Engajamento

É seu papel enquanto líder aumentar o engajamento da equipe, uma vez que funcionários que se sentem partem da empresa e das decisões tendem a trabalhar com muito mais afinco e superar as expectativas.

Pense da seguinte forma: quando o funcionário tem a sensação de que aquele projeto é seu, e não que foi algo pré-determinado e ‘empurrado’ para ele, a sensação de responsabilidade é muito maior.

Por isso, saiba delegar tarefas e confie na sua equipe para executá-las. Afinal, você não contratou essas pessoas à toa, certo? Esteja por perto para dar suporte, tirar dúvidas ou ajudar no que eles precisarem, mas não seja um chefe controlador e que precisa de feedbacks a cada minuto. Além de ser extremamente desgastante, isso fará com que a sua equipe perca o total interesse no trabalho.

c) Moral

Os líderes exercem influência direta na moral de sua equipe. Se você é uma pessoa controladora e que exige que os seus funcionários se reportem a você a todo momento, não confia em seus trabalhos e ainda não dá espaço para as pessoas apresentarem ideias, a tendência é que a sua equipe fique cada vez mais alienada e sem motivação.

Como diminuir a motivação da equipe não é algo que você quer, seja democrático e demonstre abertura para que todos participem e assumam as suas responsabilidades. Fazer com que os funcionários se sintam como parte fundamental da empresa é a chave para o sucesso e para aumentar a produtividade!

d) Metodologia

O seu estilho de gestão também afeta diretamente na performance da empresa. Todos os pontos que listamos nesse tópico tem a ver com a metodologia que você usa para fazer a gestão de equipes. Por isso, tente descobrir qual o modelo mais efetivo para a sua empresa e funcionários.

Existem diversas metodologias de liderança, desde as totalmente descentralizadas até as colaborativas. Vale a pena se manter informado e estudar sobre elas para que você consiga testar e aplicar aquelas que trouxerem melhores resultados. Lembre-se que trabalhar com pessoas exige grande inteligência emocional, por isso, você não conseguirá encontrar uma fórmula pronta e que possua garantia de que vai certo para a sua empresa.

 

7 fatores que podem diminuir a motivação de seus funcionários

Dizem que aprendemos com os erros, no entanto, quando falamos de liderança, é muito mais sábio tentar evitá-los do que comprometer toda a performance da empresa! Confira, a seguir, alguns fatores que você precisa evitar a qualquer custo para não diminuir a motivação dos seus funcionários ainda mais.

1 – Não dar feedback

Como os seus funcionários saberão que estão fazendo algo errado ou se você está insatisfeito com o trabalho deles se você não disser nada? Não dar feedback – ou fazer da forma errada – é um dos principais erros que os líderes cometem. Mantenha conversas frequentes, claras e objetivas para que as pessoas consigam evoluir e sejam reconhecidas quando um objetivo for alcançado. Não deixe as coisas ‘esfriarem’ e nem tenha preguiça de realizar essa atividade essencial da liderança e que afeta diretamente a produtividade.

2 – Não saber delegar

Como dissemos, líderes centralizadores e que sentem a necessidade de estarem inseridos em cada mínima etapa de um projeto são a ‘receita do sucesso’ para uma equipe sem engajamento e com baixos níveis de interesse nas tarefas. Confie nas pessoas que você contratou e disponibilize as ferramentas para que elas tenham a autonomia de executarem as tarefas e descobrirem seus próprios caminhos.

3 – Ser ausente demais

Não confunda saber delegar com seu um líder ausente. É importante estar sempre por perto para ajudar e orientar quando necessário e, principalmente alertar a equipe quando algo não está se desenvolvendo da maneira correta. Vale destacar que o reconhecimento por metas alcançadas é tão importante quanto os ‘puxões de orelha’. Por isso, jamais deixe de reconhecer o esforço individual de cada membro da sua equipe.

4 – Não saber definir objetivos

Quando a sua equipe não possui objetivos claros, a tendência é que as pessoas fiquem enrolando durante todo o dia. Afinal, ninguém consegue ser produtivo quando não sabe o que precisa ser feito ou qual a importância de cada tarefa para a empresa. Definir objetivos também é fundamental para que os seus funcionários priorizem atividades e concentrem esforços no que é mais importante, ao invés de executarem atividades que não acrescentarão em nada.

5 – Não entender o que motiva a equipe

O que motiva os seus funcionários? Se você respondeu “dinheiro” logo de cara, há grandes chances de a sua resposta estar errada. Claro que o dinheiro é importante e as pessoas esperam esse tipo de reconhecimento em qualquer empresa, no entanto, fatores como um bom ambiente de trabalho, colegas amigáveis e a possibilidade de conciliar a vida pessoal com a profissional podem ser tão – ou mais – relevantes para engajar as pessoas do que o dinheiro. Tente prestar mais atenção naquilo que a sua equipe valoriza para que você consiga proporcionar exatamente o que eles veem como valor.

6 – Não entender seu papel como líder

Ser um líder que motiva e engaja a sua equipe requer uma mudança de comportamento. E, quando precisamos mudar nossas atitudes, é muito fácil voltarmos aos velhos hábitos sem percebermos. Por isso, tenha em mente que o seu papel enquanto líder está diferente agora. Você precisa confiar na sua equipe e trabalhar a comunicação e a inteligência emocional para prover formas de as pessoas darem o seu melhor e, assim, superarem as expectativas.

7 – Não saber contratar

A falta de motivação já começa no momento da contratação. É fundamental que você saiba exatamente quais as características e competências necessárias que uma pessoa precisa ter para assumir cada posição na sua empresa. O descritivo de cargos e salários pode te ajudar muito nessa tarefa, uma vez que, contratar pessoas muito qualificadas ou que não possuem um conhecimento técnico necessário para determinado cargo, só vai acabar frustrando ambos os lados e diminuindo ainda mais a produtividade da empresa.

 

3

5 metodologias que podem aumentar a produtividade de sua equipe

Agora que você já sabe o que não deve fazer para diminuir a motivação e, consequentemente, a produtividade da empresa, chegou a hora de darmos algumas dicas sobre o que pode ser feito para aumentar ainda mais a performance dos seus funcionários. Vamos lá!

1 – Foco em prazos

Quando não há prazos ou eles estão muito distantes, a tendência é que as pessoas comecem a procrastinar e só comecem a trabalhar quando a data de entrega estiver bem próxima. Para que isso não aconteça, estabeleça prazos curtos para cada etapa de um projeto. Sendo assim, se o projeto envolver 5 tarefas, cada uma delas deve possuir um prazo específico para ser concluída.

É muito importante ressaltar que esses prazos precisam ser realistas (nada de pedir para te entregarem as coisas do dia para a noite) e devem contemplar alguns minutos de descanso. Afinal, as pessoas conseguem produzir muito melhor quando sabem exatamente quanto tempo possuem para que a tarefa seja feita e ainda sabem que podem contar com um momento de relaxamento para abrir a mente para novas ideias.

2 – Incentivos para organização

Ninguém consegue trabalhar ou priorizar atividades em meio ao caos. Crie o hábito de desenvolver um cronograma e uma lista de tarefas e responsáveis ao começo de cada projeto e incentive a sua equipe a fazer o mesmo para as suas atividades. Dessa forma, fica muito mais fácil de visualizar o que precisa ser feito e quais as prioridades em meio à lista de tarefas.

3 – Metodologia do calendário

Essa é uma técnica muito boa para ajudar as pessoas a fazerem o que precisa ser feito e ainda incentivá-las a não desistirem das tarefas mais chatas ou cansativas. Crie um calendário com os projetos em andamento e vá marcando todos os dias o quanto dele já foi concluído. As próprias marcas no calendário servirão como incentivo para as pessoas não desistirem, alcançarem as metas e, ainda, conseguirem visualizar o quão produtivas elas foram!

4 – Trabalho sem interrupções desnecessárias

Não há nada pior para a produtividade do que ser interrompido a todo momento. Por isso, evite chamar seus funcionários para conversas ou reuniões que não estavam previstas. Se possível, reserve um dia da semana só para colocar em dia os feedbacks ou passar novas orientações para a equipe. Dessa forma, todos conseguem programar a sua semana muito melhor e ainda não precisam parar e retomar o que estavam fazendo a todo momento.

5 – Transformar ideias em ações

Crie uma cultura na sua empresa voltada para ações. Ao terminar uma reunião, por exemplo, incentive as pessoas a criarem um plano de ação ao invés de simples anotações. Cada ação deve ter um breve passo a passo do que precisa ser feito para que ela seja concluída com sucesso. Dessa forma, você evita com que pontos que foram discutidos se percam em meio ao dia-a-dia da empresa.

 

É possível medir a produtividade da equipe?

A essa altura, você deve estar pensando que todas as dicas que demos até aqui são bastante interessantes e valem a pena serem colocadas em prática. No entanto, de nada vai adiantar se você não conseguir medir a produtividade da equipe e avaliar se as iniciativas implementadas geraram resultados efetivos para a sua empresa, certo?

Sim, é possível!

É possível medir a produtividade da sua equipe, no entanto, você tem que fazer isso da maneira correta! Isso significa que usar indicadores como ‘velocidade’ e ‘volume de trabalho’ realizado por uma pessoa não são indicadores nada adequados de produtividade. Afinal, uma pessoa pode realizar várias atividades em um curto espaço de tempo, mas de nada vai adiantar se o trabalho estiver ruim e outro funcionário precisar refazer tudo depois.

 

Como medir a produtividade da equipe

a) Cumprimento de metas específicas

Cada atividade, por menor que seja, deve possuir uma ou mais metas com as quais o seu time se comprometa. Além dos objetivos macro da empresa e dos próprios projetos, essas metas te ajudarão a avaliar a produtividade e a orientar a equipe a respeito do que precisa ser feito. Quando as metas forem atingidas, isso significa que as pessoas estão comprometidas com o trabalho.

b) Avaliação das horas de trabalho

Como dissemos por várias vezes durante o artigo, a quantidade de horas trabalhadas dificilmente indica alta produtividade. Pelo contrário, se um funcionário está fazendo muitas horas extras, é sinal de que algo está errado: ou ele não está produzindo durante o horário em que deveria ou há uma má distribuição de atividades na empresa.

Claro que ocorrem imprevistos e que, às vezes, há a necessidade de prolongar a jornada de trabalho, no entanto, é importante garantir com que as pessoas não fiquem desgastadas demais ou que elas não estejam usando esse período para atividades sem importância.

c) Contribuição para outras áreas

Equipes de alta performance costumam possuir uma combinação de conhecimento profundo e especializado em suas áreas com noções que contribuem de forma significativa para outras. Os seus funcionários são capazes de fazer isso? Comece a observar se as pessoas se ajudam e tomam a iniciativa de contribuir para projetos e atividades que não estão diretamente envolvidos em sua área de atuação.

Prestar atenção e tomar consciência das suas habilidades enquanto líder é fundamental para construir e manter uma equipe de alta performance. Quando você consegue orientar e engajar os funcionários, o trabalho flui muito melhor e as expectativas são superadas.

Se a sua empresa vem enfrentando problemas de produtividade, pare por um segundo para refletir se essa situação não reflete a sua postura enquanto líder antes de sair dando feedbacks negativos e demitindo pessoas.

Mudar velhos hábitos pode ser um processo longo e difícil, no entanto, assim que você começar a adotar novas práticas enquanto líder os resultados começarão a surgir naturalmente!

Quer receber mais dicas como essa para aumentar a produtividade e fazer uma gestão de equipes muito mais eficaz? Então assine a nossa Newsletter e receba informações e novidades que vão te ajudar nessa jornada!

40 Comentários

  1. Tavares disse:

    Excelente matéria.
    Vou discutir todos os pontos com minha equipe de líderes.

  2. Paulo disse:

    Gostei, objetivo e sucinto, sem perder qualidade. Ser-me-á extremamente útil. Paz e Bem!




Deixe seu comentário