colaborador,criatividade,empresa,gestão do tempo,gestor de equipes,liderança,planejamento,produtividade,vida pessoal,

7 de junho de 2018

Vida pessoal e profissional: como manter o equilíbrio


O ritmo cada vez mais acelerado tem comprometido o equilíbrio entre vida pessoal e profissional para muita gente. A rotina tende a ser muito direcionada aos afazeres do trabalho, o que pode ser nocivo às relações interpessoais. Uma pergunta que tem sido recorrente é como alcançar e manter o equilíbrio para a balança não pender demais para um dos lados.

Profissionais que atuam em cargos de liderança têm mais dificuldade para encontrar um ponto ideal entre vida pessoal e profissional. O acúmulo de responsabilidades leva ao aparecimento de urgências e pode levar a um desbalanceamento.

No artigo de hoje, vamos alertar para algumas armadilhas que podem acabar com a sensação de equilíbrio rapidamente. Evitar esses erros no dia a dia é um passo importante para manter a saúde física e mental. Com isso, todas as atividades se tornam mais proveitosas, sejam elas de trabalho ou de cunho privado.

 

Erro #1: ter dificuldade para estabelecer prioridades

Uma das causas mais comuns do desequilíbrio é a dificuldade em estabelecer prioridades. As pessoas devem se conscientizar que nem todas as atividades de sua rotina têm o mesmo grau de importância. Por isso, não dá para tratá-las como se fossem equivalentes.

Priorizar é um exercício decisivo na busca por equilíbrio, pois impacta positivamente a gestão do tempo. Quem elenca suas atividades – pessoais ou profissionais – de acordo com sua real importância passa a ter mais tempo para o que é verdadeiramente significativo.

Outra vantagem em estabelecer prioridades é criar uma espécie de escudo contra urgências. Para gestores de equipes, o benefício é ainda mais relevante, pois o acúmulo de urgências pode se tornar insustentável.

 

Erro #2: acatar urgências com pouco discernimento

O tema urgências é um celeiro de problemas no ambiente corporativo. Se não é possível evitá-las por completo, cabe ao gestor de equipes definir o que é mesmo urgente.

Essa atitude de separar o joio do trigo tem um caráter educativo para os colaboradores. Se o gestor estabelecer critérios claros para determinar o que caracteriza uma urgência, elas não vão ficar “pipocando”. Os membros da equipe devem estar aptos a resolver problemas e não repassá-los a seus superiores. Evidentemente, o líder também não pode ter uma postura negligente quando uma urgência real bater à sua porta.

A falta de discernimento para avaliar urgências é um pecado para quem ocupa cargos de liderança. Isto porque o tempo gasto de forma indevida nas falsas urgências pode custar caro à empresa.

(Leia também: 4 estratégias para controlar urgências de clientes)

 

Erro #3: confiar no hábito da multitarefa

A partir de um certo momento, a multitarefa se tornou quase uma moda no meio empresarial. Por incrível que pareça, algumas pessoas associam essa atitude a uma ampliação da produtividade. Mas a ciência já tratou de desmentir a teoria da multitarefa e provou que nosso cérebro não consegue fazer várias coisas ao mesmo tempo.

Pessoas verdadeiramente produtivas são aquelas que conseguem dividir suas atividades com inteligência. Isso faz com que elas concluam mais tarefas e entreguem mais resultados. A multitarefa gera constantes interrupções e pode levar a uma conclusão desastrada de cada uma das atividades simultâneas.

Vale destacar que a multitarefa não se dá apenas com o acúmulo de tarefas profissionais. O smartphone – sempre do lado das pessoas – é um convite a interrupções para pequenas atividades pessoais. Ou você pensou que aquela paradinha para ver um vídeo fofo não é uma forma de multitarefar?

 

Erro #4: superestimar o tempo

Bem que gostaríamos que os dias tivessem muito mais do que 24 horas, mas infelizmente isso não é possível. A solução é fazer o tempo render melhor, o que não significa subestimar o período destinado a cada atividade.

Muitos profissionais cometem o erro de superestimar o tempo e sua própria capacidade de cumprir várias tarefas em poucas horas. Essa atitude deixa a agenda engessada e pode levar a um quadro de estresse diante do tempo apertado. Além disso, não sobra nenhuma margem para imprevistos ou para a resolução de urgências (somente as verdadeiras urgências!).

A melhor forma de melhorar a distribuição de atividades ao longo do tempo é conhecer a si mesmo. O cumprimento de determinadas tarefas recorrentes na rotina nos permite compreender precisamente o tempo de execução. Com isso, o planejamento de atividades passa a ser mais assertivo e se torna um poderoso companheiro.

(Leia também: Conheça 4 caminhos para uma vida livre de estresse)

 

Erro #5: direcionar o foco para a atividade seguinte

Já é sabido que a correria tornou quase regra em um mundo de avalanche constante de novidades e informações. Nesse grande caldeirão, a ansiedade pode tomar conta de pessoas desprevenidas. O resultado disso? Uma dificuldade constante em se concentrar na atividade presente.

Direcionar o foco para o que vem a seguir tem se tornado um vício perigoso no ambiente corporativo. O excesso de tarefas pode tornar colaboradores e gestores mais dispersivos, o que compromete a qualidade.

É recomendável que os profissionais mantenham o foco total no que estão fazendo em cada momento. Isso pode impactar qualidade e quantidade. O trabalho será bem feito e sua execução poderá ser encurtada devido à concentração da pessoa responsável.

 

Erro #6: se esquecer de si mesmo

A sobreposição de atividades relacionadas ao trabalho são um grande risco para o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. É preciso refletir consigo mesmo para identificar quando a divisão de tempo deixa de ser saudável.

Uma armadilha comum é abrir mão de parte da vida pessoal para dar um salto na carreira. Algumas concessões podem ser pertinentes e levar você a um novo patamar, mas tomar isso como regra é arriscado. O crescimento do lado profissional é saudável até o ponto em que não interfere de forma drástica nas atividades pessoais.

Para não se esquecer de si mesmo, procure reservar um tempinho em sua semana para algo genuinamente importante para você. Pode ser aquele hobby que acabou deixado de lado diante das inúmeras obrigações profissionais.

Entenda essa atividade como uma forma de turbinar o espírito e lhe dar energia para tudo que faz parte de sua rotina.

 

Equilibre vida pessoal e profissional

Boa parte dos erros apresentados neste artigo podem ser solucionados com uma gestão do tempo mais inteligente. Quem administra melhor sua rotina está muito próximo de encontrar o equilíbrio pleno entre vida pessoal e profissional. Que tal uma dica para chegar lá? Acompanhe nosso blog e fique por dentro de todas as novidades!




Deixe seu comentário